quinta-feira, abril 12, 2007

Reflexão

Comecei o projecto Fragmentos há cerca de ano e meio e penso que está chegada a altura de fazer uma reflexão sobre o mesmo.
Na realidade sinto-me bastante desapontado com os resultados obtidos.
Queria que os Fragmentos fosse um espaço de comunicação e convívio na Internet, entre mim e todos os seus leitores. Um espaço de liberdade, de troca de ideias e de opiniões, com respeito pela diversidade e pela mudança. Um espaço com lugar para o humor, a criatividade e a imaginação. Queria estreitar laços, establecer contactos, partilhar experiências. Queria construir algo em comum, criar proximidades agora que a Net veio teóricamente encurtar distâncias entre as pessoas e os povos.
Sinto que falhei ! Nada disto foi alcançado.
Talvez os meus textos sejam de má qualidade. Talvez as minhas histórias não tenham interesse nenhum. Talvez as minhas fotos sejam uma merda. Talvez ...
Dia após dia, abria o blog à procura de comentários, de algo que revelasse o interesse dos meus leitores, mas os resultados eram nulos ou muito escassos.
Durante muito tempo distribuí cartões como forma de divulgação dos Fragmentos a todos os amigos, conhecidos e afins, mas tirando duas ou três excepções, o interesse não surgiu ...
Custa-me principalmente saber que os meus dois filhos, não se interessam, nem leem o que pai escreve, apesar de serem frequentadores assíduos da Internet e a que minha companheira, avessa como é das novas tecnologias, também não.
Depois tentei dar a volta por cima e dizer a mim próprio, que escrevia apenas para mim próprio e publicava fotos apenas para meu próprio prazer ... mas nem isso parece estar a funcionar, já que não sou suficientemente egocentrista, para me contentar com tão pouco.
Por diversas vezes estive já à beira de desistir, mas depois lá encontrava algum ânimo para continuar. Não sei por quanto mais tempo.
Não escrevo isto para que tenham pena de mim (isto se alguém ler o que aqui está !). Escrevo-o mais como um desabafo, em jeito de balanço.
Não sei onde falhei ... olho à minha volta e sinto as pessoas cada vez mais fechadas na sua concha, vejo cada vez mais seres solitários e tristes ... o individualismo, juntou-se à inveja e ao rancor e juntos conduzem os seres á depressão ... onde cada um sofre sózinho, sem uma mão ou uma palavra amiga, que às vezes pode fazer tanto . Falta a comunicação, com receio pelo desprezo ou o desinteresse dos outros.
Como pode um país tão bonito (Portugal) ser povoado por uns seres tão tristes e deprimidos ?
A minha reflexão acaba aqui... Fico com mais perguntas, do que respostas ...
Não sei se os Fragmentos vão continuar .
Vou pensar . Depois digo qualquer coisa.

10 Comments:

Blogger Manuel Ramos said...

Que é isso João? Não desanimes, pá!Fica sabendo que não escreves pr'o boneco. Pelo menos assim não me considero! Gosto do que escreves, do que musicas, do que filmas, do que fotografas. Mas sabes como é... nem sempre há vontade de dizer algo, ou porque a sintomia é grande e o comentário normalmente vem pela diferença e não pela concordância, porque tu dizes tudo, e bem, ou há pressa de fazer outras coisas, enfim, por tanta coisa. Quantas vezes comentaste tu o meu blog ou o do Baeta, ou o do...sei lá. Mas se calhar és leitor habitual de alguns deles e ficas curioso de os ler, não é? Pois é. Por isso não desanimes. Mantém o teu diário. É o teu arquivo de memórias e talvez um dia,mesmo já não estando por cá, e caso o Blogger não te formate os textos, ainda os teus netos e filhos te hão de ler com prazer e saudade. Ficarás tu, as tuas ideias,o teu espírito, através dos teus textos neste ciberespaço.
Que ideia, hein!!

12/4/07 23:36  
Anonymous Anónimo said...

Amigo João
Olha que a malta lê o que escreves e aprecia muito o teu blog! Eu tenho-o nos favoritos e frequento-o quase diariamente, ainda que sem deixar muitas marcas da minha passagem. Como podes pensar que a malta não gosta das tuas fotografias?!!! Do pessoal que conheço, tu és o melhor fotógrafo, sem margem para dúvidas!...
Mas eu percebo-te. É o país que anda deprimido (um em cada quatro tugas, dizem os jornais) e é natural que a malte desanime, com as cargas de trabalho que temos em cima, com o circo das políticas da treta do governo e tudo o mais...
Por mim, deves continuar. Sem compromisso. Sobretudo, sem expectativas, pois aí é que está o problema: a realidade estará sempre aquém das nossas expectativas, por mais modestas que sejam... Por isso, a malta defende-se...
Mas isto é conversa...
Tu és um corredor de fundo e vais continuar a maravilhar-nos com as tuas fotos e a fazer-nos sorrir com os teus comenrtários. Toma um exemplo a não seguir: vê lá que tristeza o que aconteceu ao Nakata. Começa com a pica toda e, mal te estás a habituar a lê-lo, o gajo fecha a loja e dá-nos com a porta na cara...
Que não aconteça o mesmo ao Fragmentos!
Um Abração

C.Marley

13/4/07 12:53  
Anonymous Anónimo said...

Os Anonymous-Anónimos vêm por este meio solicitar a continuação deste Blog imprescindível. Fragmentos Forever !!!!

13/4/07 15:04  
Anonymous Anónimo said...

Talvez tenhas colocado demasiadas expectativas neste teu blog. Mas acho que não devias desistir. Olha, eu concordo inteiramente com os comentadores anteriores. eu costumo visitar o teu blog quase todos os dias, mas nem sempre tenho tempo para escrever. tb é verdade que nem sempre me interesso por todos os assuntos, mais isso é mesmo assim, não temos que ter todos os mesmos interesses. Gosto muito da maioria das fotografias. É verdade que se houver mais gente a participar, tudo se pode tornar mais animado...mas enfim...Tu comunicas bem e isso chega para fazer passar ideias, não é preciso ter veia literária. Além disso criaste um espaço ao qual recorrem algumas pessoas, e que continua vivo, isso já é alguma coisa.

Agora em relação aos filhos: mas tu achas que eles se devem interessar pelos mesmos assuntos que nos interessam a nós? Isso parece-me uma verdadeira tontaria. Os filhos não querem saber de nós para nadinha, e querem lá perder tempo a ler o que os cotas dos pais com mais de 20 ou 30 anos do que eles escrevem...deixa-os crescer...

Quanto às pessoas...bem...isso é outro assunto. Eu não as acho propriamente tristes. Com problemas complicados de carácter sim. E de que maneira! A maior parte anda sempre mal disposta e como se isso não bastasse entretêm–se a complicar a vida aos outros. E tenho visto cada coisa...E mesmo as que se acham isentas e maravilhosas tem rabos de palha...que a qualquer momento, normalmente nas situações mais apertadas, se manifestam da pior maneira. Estou a aprender a viver com isso. Não me ralo, não me chateio, deixo-as espernear sozinhas. Pessoas excepcionais são muito, muito raras. Não sei se conheço alguma...E acho que elas são assim em todo o lado, por todo o planeta.

Para terminar, voto na continuação do teu ciber-espaço.
Bjinhos. Paula_((( : P

13/4/07 19:22  
Anonymous Anónimo said...

OH JOÃO, TU ÉS FISH...E O RESTO...QUE SE LIXE!

13/4/07 20:22  
Anonymous Anónimo said...

Não desnimes João,a malta está aí contigo.Os Fragmentos estão nos meus favoritos e todos os dias passo pelo blogg.
Um abraço,
Paulo

14/4/07 13:47  
Anonymous Anónimo said...

João
Visito regularmente o teu Blog e gosto principalmente das fotografias. É verdade, nunca comentei, mas isso não me torna menos atenta. É a minha maneira de estar nas coisas. Continuares ou não, a escolha será sempre só tua, eu por mim admiro quem põe as ideias em prática.(E tenho pena quando se desiste,pena por mim, que fico a perder!)

Beijinhos.
Patrícia Andrade

14/4/07 19:35  
Blogger Pedro n. t. santos said...

João, não desanimes...alguns dos blogues com maior tráfego que conheço têm pouquíssimos comentários; tal não significa que não sejam lidos e que não tenham nenhum impacto...

Há sempre quem goste de nos ler...

15/4/07 09:49  
Anonymous Anónimo said...

Segundo as estatísticas, os jornais de distribuição gratuita, que até andam espalhados pelo chão dos tranportes públicos, tiram clientes aos outros. Continua com o teu Blog de "distribuição gratuita" !! Leitor gratuito

16/4/07 11:02  
Blogger JC said...

Obrigado a todos pelas vossas palavras de encorajamento.
Senti que necessitava de saber se alguém me estava a ouvir, ou se estaria apenas a "pregar no deserto".
Por vezes o nosso ego precisa de um calorzito ...
O Fragmentos vai continuar !

16/4/07 16:36  

Enviar um comentário

<< Home