sábado, março 11, 2006

Hipocrisia

O Sr. Dr. Vitor Constâncio, governador do Banco de Portugal é o funcionário público que mais ganha, neste país. Recebe cerca de 25 mil euros por mês, fora outras mordomias, o que é mais do triplo do que ganha o Presidente da Républica.
Numa recente entrevista confessa que ganha demasiado.
Sr. Dr. Constâncio, quero aqui declarar que eu e 99,9% dos portugueses, concorda com esta sua afirmação.
Quero aqui também protestar por esta tremenda injustiça, de que é vítima este técnico tão eficiente e economista tão reputado...
No entanto a solução para este imbróglio é fácil: o Sr.Dr. pega no excesso de dinheiro que lhe pagam e oferece-o como donativo, a uma qualquer instituição de solidariedade social, à sua escolha.
Todos ficarão contentes, incluindo o Sr. Dr. !
Acontece que o Sr. Dr. até é um socialista convicto, imbuido certamente das mais nobres intenções...
O Sr. Dr. que declarava que os funcionários públicos (esses malandros !) não deveriam ser aumentados, o Sr. Dr. que abençoou todas as políticas económicas, dos sucessivos governos incompetentes, que nos tem saído na rifa, nos últimos anos ... não deixará certamente de tomar esta atitude benemérita e consentanea com a moralidade e a ética, que tem apregoado, nos últimos anos.
Ficamos cá à espera da sua decisão ...

2 Comments:

Anonymous Shana said...

João, o homem já deve estar mais que arrependido do que disse, mas como sabe que não terá que prestar contas a ninguém pelo faz ou diz...!
O problema é que este é apenas um entre milhares de casos iguais e a impunidade com que estes abutres vegetam entre nós é tão grande que até se dão ao luxo de dizer verdades como a que este disse. Houvesse alguém dos mais desfavorecidos a dizer publicamente o que ele disse e logo verias se não lhe caia o governo em cima pronto a retirar-lhe o que estava a mais!

Somos tão cobardolas que eles até se dão ao luxo de gozarem connosco!

12/3/06 17:39  
Anonymous Anónimo said...

É sabido que no Banco de Portugal abundam as mordomias mas o salário do Conselho de Administração era segredo até que os jornais (Independente entre outros) divulgaram que o Governador recebe 280 000 anuais, fora outras mordomias (carros, obras faraónicas no gabinete...)

Consultando o congénere dos EUA, o Federal Reserve, o salário de Alan Greenspan, Chairman (http://www.federalreserve.gov/bios/greenspan.htm) é de
$ 180 100 USD anuais fixados pelo Congresso, não por eles próprios!
Ver: http://www.federalreserve.gov/generalinfo/faq/faqbog.htm#3
Ora convertendo temos: 149 771 euros

Então o homem que é escutado atentamente por todo o mundo financeiro, cuja decisão sobre as taxas de juro nos afecta a todos, ganha menos que outro de um paí­s pobre, pequeno, periférico e que só é ouvido quando convém que alguém "independente" afirme que a conjuntura está preta em Portugal

Até a reforma do Mira Amaral é superior............ à do ALAN GREENSPAN!!!

PS: Já agora vejam no respectivo portal do B. de Portugal quem é que já passou como governador....

Esta informação que transcrevo já tem alguns meses mas é pertinente neste contexto

Os Administradores do Banco de Portugal também apertam o Cinto

Estando nós habituados a ver o Dr. Vitor Constâncio a defender, dia sim
dia não, a contenção da massa salarial, em especial a dos funcionários
públicos, e tendo sido que o Governo decidiu que os assalariados que auferem
de salário mínimo só podem ter aumentos equivalentes a uma bica por dia de
trabalho efectivo, não deixou de ser uma feliz coincidência saber que os
administradores do Banco de Portugal também apertam o cinto.

Pois, apertam o cinto de viaturas novinhas em folha: o governador, Vítor
Constâncio, teve direito a um BMW 530 D, no valor de 67400 euros (13400
contos). Para dois administradores foram um Saab Sport Sedam 2.2, no valor
de 37 mil euros (7400 contos) e um Volvo V40 1.9D, de 36730 euros(7363
contos). E para que o motorista do Dr. Vitor Constâncio não se sentisse
diminuído também levou um Peugeot 206 color line.

No Banco de Portugal existem 56 viaturas atribuídas para 1794 funcionários, o que dá um carrinho por cada 32 almas. O mesmo rácio aplicado à DGCI implicaria que esta disporia de um parque com nada menos que com 406 viaturas. E se aplicado aos 700.000 funcionários públicos isso implicaria que o Estado deveria ter qualquer
coisa como 21.875 viaturas, o que dava ocupação à Ford Europa por uns tempinhos.

13/3/06 13:58  

Enviar um comentário

<< Home