quarta-feira, março 08, 2006

Salvemos as últimas grandes Árvores de Monchique



Eles andam aí..!!!
Eles estão a destruir as poucas árvores grandes que restam.
Começou o abate junto á estrada, todas as árvores com uma faixa vermelha, têm o destino marcado, desde Monchique à Fóia.

Eles encheram as montanhas e arredores de eucaliptos, que agora ardem ano sim ano não.
São os mesmos que secaram fontes e tanques.
São os mesmos que fizeram com que muitas casas ardessem.



Onde antes havia 100 eucaliptos agora há 400, prontos a arder outra vez.
A estrada que vai de Monchique para o Alferce, também têm uma centena de árvores com uma faixa vermelha, outras têm uma faixa branca.
Grande polémica, primeiro todas tinham uma faixa branca, passados uns tempos uma grande parte de faixas brancas viraram a vermelho.


Eles andam aí.!!!
O assunto não estava esquecido. Os lucros falam mais alto.
Quem decide quais as árvores a abater?
Tantas perguntas na minha cabeça, tanta revolta de não poder fazer nada, tanta mágoa no coração, de ver destruir tantas árvores.
E a grande verdade, é que todos somos Responsáveis.
E nós, o que é que fazemos?
A todos os que pensam que podem fazer alguma coisa, falando, fotografando, visitando, contactando associações do ambiente.

Só um tema como este me fez chegar ao computador para pedir ajuda.


Digam-me que posso contar convosco, digam-me que não estou sozinha nesta luta..


escrito por Manuela Rocha

15 Comments:

Anonymous Celia Luz said...

Estou completamente indignada, ofendida, ultrajada, furiosa e tudo o mais! Como é que podem deitar abaixo árvores centenárias? como é que podem matar vidas assim? Como é que podem acabar com o pouco oxigênio que a terra já tem? Amiga, infelizmente estou muito longe para ajudar, mas tem o meu apoio total e se de alguma forma lhe poder ser útil é só pedir! Agora ficou a mágoa depois de ler as suas palavras sobre a terra que tenho no coração! Obrigada por ter escrito, só assim descobri o que andam a fazer...

8/3/06 23:55  
Blogger JC said...

Se se sente indignado com tudo isto, exerce o seu direito à liberdade de expressão e proteste mandando um mail para a Câmara de Monchique : geral@cm-monchique.pt

9/3/06 14:04  
Anonymous Anónimo said...

Que espécie de árvores é que estão a abater??????
Também são eucaliptos?

10/3/06 00:13  
Anonymous Manuela D.L.Ramos said...

Via Saco dos desabafos soube do vosso alerta que entretanto já publiquei no Dias sem árvores
O que disse a Câmara?

10/3/06 12:22  
Blogger JC said...

As árvores marcadas para morrer, são grndes eucaliptos centenários, pinheiros . Não sei se há outras, mas prometo investigar.

10/3/06 21:28  
Blogger António said...

Cheguei aqui via O blogue 'Dias sem árvores' - http://dias-sem-arvores.blogspot.com/2006/03/em-monchique.html
Pelos vistos a árvore vai estar "em vias de estinção"
estou solidário com a sua indignação.

12/3/06 01:25  
Anonymous Manuela D.L.Ramos said...

Alguem me sabe dar notícias deste Quercus canariensis classificado na estrada para o Alferce?
Obrigada

12/3/06 13:00  
Blogger MaD said...

Meus amigos, tenham um pouco de bom-senso e não vejam tudo pela mesma bitola.
O carvalho da estrada do Alferce está bem e recomenda-se.
Defendamo-lo com todas as forças, embora me pareça que não está em perigo.
Mas, eucaliptos que, em muitos casos, representam até um perigo para quem circula na estrada...
Posso-lhes dizer que eu próprio, que passo quase diariamente na estrada do Alferce, já testemunhei a queda dum desses gigantes para o meio da estrada, a não mais 100 metros de distância do referido carvalho, para além inúmeras pernadas que podem causar gravíssimos danos aquem passa de carro ou de outra forma qualquer.
Defendamos os carvalhos as araucárias, as magnólias, os castanheiros e outros, mas eucaliptos... Por favor...
MaD

21/3/06 23:01  
Blogger JC said...

Caro Mad
Os eucaliptos e pinheiros que caem são os que arderam nos incêndios de há 2 anos e não estes que estão em perfeito estado de conservação.
A diferença é que a madeira destes rende um belo dinheirinho e a dos queimados, pouco ou nada vale.
Por falar nisso, a que bolso irá parar os "belos" euros, que esta madeira irá render ?

22/3/06 13:39  
Blogger MaD said...

Estimado jc
Tem razão ao dizer que as árvores que arderam caem. Caem mais, mas as outras também.
O caso que referi aconteceu muito antes dos incêndios.
O eucalipto é uma árvore que, embora actualmente seja indispensável para a economia de Monchique, trouxe gravíssimos problemas para a nossa serra. Estão mais do que identificados e não vale a pena estarmos aqui a 'partir pedra'.
Deixe lá a madeira render uns euros a quem a vende (O Estado, que bem precisa) e a quem a compra, que, provavelmente, leva a parte de leão e isso é que é pena.
A propósito deste tema,se quiser fazer a gentileza, leia o meu post em: http://refoista.blogspot.com.
As minhas saudações de monchiqueiro.
Bem haja, por se interessar por Monchique.
MaD

22/3/06 20:20  
Blogger JC said...

Caro Mad
Eu também acho que a monocultura do eucalipto é uma praga, que afecta gravemente o ecosistema, não só da serra de Monchique, mas de todo o interior de Portugal.
Mas estes são eucaliptos muito anteriores á febre que atacou Portugal. Estes foram plantados para dar sombra á estrada e também servem para segurar as encostas, em determinados locais mais escarpados.
E depois como foram das poucas árvores que escaparam aos terríveis incêndios, porque não deixarem ficar o pouco de verde que resta (que já é tão pouco!).
Quando viajamos pela serra observamos kilómetros e kilómetros de árvores queimadas, num cenário de desolação e essas sim é que era preciso serem cortadas.
Quanto aos euros da lenha, não estão tão certo que vão parar aos cofres do estado ... será que não ficarão esquecidos pelo caminho.
Quanto ao meu interesse pela serra de Monchique, ele é real e é com grande mágoa, que tenho visto a serra a definhar, nos últimos 25 anos, graças á locura e ganância de alguns e à indiferença de muitos.
Cumprimentos.

24/3/06 10:19  
Blogger MaD said...

Caro JC
Parece que estamos em consonância, excepção feita aos eucaliptos das estradas. Para mim são todos eucaliptos... E podem ser substituídos por outras árvores sem qualquer desvantagem.
Mas, descanse que eles vão rebentar todos novamente...
A minha posição é, provavelmente, um pouco mais 'moderada'porque eu fui criado na serra (não numa localidade), ela faz parte da minha vida, e aprendi que os principais interessados, os que nela vivem, nem sempre são os que a defendem melhor, não por ganância ou malvadez, mas por necessidade e falta de esclarecimento.
Porém, a natureza tem maior capacidade de regenaração do que muitas pessoas por aí apregoam, tal como as coisas, por vezes, também não estão tão mal como se diz.
Visite a serra, esta Primavera, que ela já vai ficar mais verde e bonita, embora com as grandes cicatrizes que refere.
Saudações.
MaD

24/3/06 18:25  
Blogger Filipe said...

Já coloquei este comentário nos dias com árvores, mas seria mais apropriado talvez aqui.
Em relação aos eucaliptos, principalmente aos de grande porte, há um pormanor que as pessoas normalmente não sabem.
Os ramos dos eucaliptos quando saem do tronco principal, desenvolvem o que normalmente se chama um "nó" muito fraco, entre o ramo lateral e o principal, vertical, esse ramo lateral desenvolve-se bastante, ou seja aumenta de peso, de tal maneira que provoca a sua queda.
Para que se manter um eucalipto monumental e não ter acidentes é necessário proceder à poda desses ramos laterais, para evitar acidentes, que às vezes podem ser graves em termos urbanos ou junto ás estradas.

24/3/06 19:57  
Anonymous Manuela D.L.Ramos said...

Não posso deixar de exprimir a minha concordância com o que o escreve JC no seu último comentário! (Mas estes são eucaliptos muito anteriores á febre que atacou Portugal. Estes foram plantados para dar sombra á estrada e também servem para segurar as encostas, em determinados locais mais escarpados.
E depois como foram das poucas árvores que escaparam aos terríveis incêndios, porque não deixarem ficar o pouco de verde que resta (que já é tão pouco!).


Já agora alguém me pode indicar a localização exacta (Km) destes Eucaliptos monumentais de Monchique?

Obrigada

25/3/06 09:48  
Blogger MaD said...

Manuela Ramos,
Os eucaliptos da fotografia estão na estrada que sai de Monchique para Sabóia, na curva que contorna o hospital, a cerca de 500m do centro da Vila.
Suponho que esse pequeno núcleo de três ou quatro não vão ser cortados (mas não o posso afirmar). Pelo menos, ainda hoje, verifiquei que não estão marcados.
Apesar de apoiar o abate das centenas ou, provavelmente, milhares existentes nas várias estradas do concelho, concordo que estes sejam poupados.
Logo que me seja possível, comentarei no seu “dias com árvores” que estou a adorar.
Saudações do Parente da Refóias para o Porto, onde tenho amigos dos melhores.
MaD

26/3/06 20:32  

Enviar um comentário

<< Home