quinta-feira, fevereiro 16, 2006

Não sou o único

Pelos vistos não sou o único a pensar assim!
Reparem neste excerto de uma revista:

O Prémio Nobel de Literatura Gunter Grass considera que as caricaturas do profeta Maomé - que desencadearam uma crise internacional junto da comunidade muçulmana - são semelhantes aos desenhos anti-semitas publicados na Alemanha nazi.

«Aconselho que todos observem esses desenhos: eles recordam os publicados num célebre jornal alemão da época nazi, Der Sturmer. Este jornal publicava caricaturas anti-semitas do mesmo estilo», afirma o escritor alemão em entrevista à revista Visão.
Segundo Gunter Grass, o jornal dinamarquês que publicou as caricaturas fê-lo como «uma provocação deliberada».

«Foram adiante porque são radicais de extrema-direita e xenófobos», afirmou Grass, de 78 anos, à revista.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Contributo para o tema (do dia?)

Em criança disseram-me com tanta convicção que vínhamos do macaco que fui obrigado a anuir que cada indivíduo é livre de escolher a sua ascendência independentemente do que a Palavra de Deus sugere.
Era adolescente quando vi "A Vida de Brian". Os meus primos, à altura razoavelmente ímpios, riam a bom rir. Fez-me impressão uma ou outra coisinha, mas aguentei até ao fim sem problemas de digestão.
Uns anos mais tarde adiei a minha rendição estética aos AC/DC muito pelo "Highway To Hell". Era excessiva aquela frontalidade viciosa.
A nossa vantagem é que o cristão aprende a conviver com a blasfémia. A sorte que todos temos.
RV

17/2/06 10:13  

Publicar um comentário

<< Home